Blog da Moderna
Natal no Japão

árvore de Natal da estação de Tokyo, em 2016


  Daqui um mês passarei meu terceiro Natal longe da minha família. Já pararam pra pensar como o Natal pode ser comemorado de diferentes maneiras, conforme o País e sua cultura?
  O Natal é uma data tradicionalmente cristã e o Japão é um País com mais budistas e xintoístas do que cristãos, então nada mais esperado que a forma em que a data é comemorada seja diferente.
  Para começar, NÃO é feriado! As pessoas normalmente trabalham. No meu caso, como eu faço um part time job e mais ou menos consigo escolher meu shift de trabalho, até hoje consegui folga dia 25. Mas dia 24 eu trabalhei normalmente, até a noite.
  Tá, então não é feriado, povo aqui não é cristão... Como é o Natal no Japão então?

 Vamos lá:

1 - NÃO É FERIADO

  As pessoas trabalham na véspera do Natal e no Natal como qualquer outro dia da semana. As fábricas, restaurantes, shoppings, comércios em geral não param. Mas é comum restaurantes terem menus especiais para a data. 


2- O DIA MAIS ROMÂNTICO DO ANO



a linda e romântica Torre de Tokyo
  Oi? Como assim? 
  É isso mesmo! O Natal aqui é considerado o dia mais romântico do ano, mais do que o Valentine's Day. É comum na véspera de Natal, os casais saírem para jantares e encontros românticos. Eu, trabalhando num restaurante cuja janela fica de frente para a Torre de Tokyo, vi muitos pedidos de casamento nesse dia, regados a champagne, luz de velas, jantar romântico e as luzes da Torre de Tokyo dando o clima... 


3- ILUMINAÇÕES DE NATAL 



iluminação da rua de Roppongi 
Detalhe de coração em Roppongi
Yomiuri Land
Yomiuri Land
Roppongi Hills - e a Torre de Tokyo ao fundo 
Mid Town

  O Japão tem o costume de fazer essas iluminações a partir de novembro e costuma durar até meados de fevereiro. Basicamente o inverno todo. 
  Uma grande atração para quem visita o País nesse período, aliás. 
  As ruas de Roppongi, MidTown e Omotesando são muito famosas. Eu, pessoalmente, gosto muito de um parque de diversões perto de onde eu moro, chamado YomiuriLand. Esse parque não é enorme, mas o show de iluminação que eles fazem é algo incrível. Para mim, é o lugar mais romântico que já fui aqui no Japão. 


4- KFC E BOLO DE NATAL 

  Se você não tem um amorzinho pra fazer um date na véspera de Natal ou não quer enfrentar a multidão de cassais apaixonados nas ruas, pode comemorar em casa ou com a família. 
  Mas nada de ceia. KFC (sim, o frango frito do vovô) é o que faz sucesso! E mais do que o frango, o que não pode faltar é o Christmas cake! 
  Os bolos de Natal são basicamente pão de ló com chantilly e morangos. Existem as versões com chocolate,  frutas diversas também, mas o tradicional mesmo é o de morango. 
  Dá pra encomendar nos mercados ou docerias com algum tempo de antecedência, assim como dá pra fazer em casa, comprando os enfeites de bolo prontos. No meu caso, sempre fiz, porque né, um bolo pode custar em torno de 5.000 ienes ( algo como 140 reais), enquanto fazer em casa vai me custar uns.. 800 ienes talvez (dependendo do morango - que é a parte mais cara do bolo) 


alguns exemplos de xmas cake - tirado do site http://daisencoffee.com/1142


Minha versão caseira de Xmas cake 

  Bem diferente do que estamos acostumados no Brasil ne?
  O que acharam? Gostariam de passar um Natal aqui ou acham que sentiriam falta da ceia em família?

Luminária Rotativa da Rockstar!!
Oi gente!

Olha que legal que eu encontrei aqui em casa dando sopa... esta luminária rotativa da Rockstar!!
Doces lembranças... A comprei nos Estados Unidos quando estava fazendo intercâmbio (uma dessa enfeitava o bar em que trabalhei), mas o tempo passa e agora vou me desfazer dessa doce lembrança porque né, já deu! Já passei da aborrecência... enfim, já deu!





Quer ver mais fotos sobre ela, clique aqui e visite a nossa lojinha!
Qual o melhor papel para fazer menu?
Já faz um bom tempo que trabalho com papelaria personalizada e sempre me perguntam qual é o melhor papel para fazer a própria papelaria... então vim fazer um post sobre isso!

O que é gramatura?
Os papéis que utilizamos em festas são chamados de papéis especiais e são bem mais grossos que os papéis sulfite que utilizamos diariamente. Claro que você já sabe disso, mas não custa eu repetir, já que já fui em casamentos em que os noivos "confiam" no buffet contratado que diz que dão o menu de brinde fechando o pedido com eles... aí chega no dia da festa, você se depara com o seu menu feito em papel sulfite... #ninguemmerece tse tse...

Nós escolhemos o papel pela gramatura. A gramatura que mais encontramos é a 180 g/m². Ele é um papel bem durinho! Pode ser usado para fazer convites, menus etc.

O papel sulfite para vc ter uma ideia, tem gramatura 75, por isso, quanto maior o número, melhor.

Para os convites eu recomendo sempre a gramatura 240. Por ser um convite formal, um papel mais grosso fica mais bonito (e mais caro!). Se você quer economizar, um convite com gramatura 180 também fica bom. Só não aceite gramaturas menores que essa ok?!

Para fazer em casa:
Se você quer fazer em casa, saiba que você pode encontrar esses papéis em menor quantidade em lojas como o Kalunga e até Armarinhos Fernando, segue alguns exemplos:



Espero que tenha ajudado! Acho legal saber disso já que temos várias opcões de comprar a arte digital e imprimir em casa ou em uma papelaria/gráfica próxima...

Até mais!


Relacionamento com japoneses
Desde antes eu vir para o Japão, ouvia que os japoneses eram frios, que não eram carinhosos e que era muito difíceis de se relacionar.
Por vivência, eu não tenho uma amostra grande (desde que cheguei aqui, namorei um, terminei, por um curto período saí com outro, mas no fim voltei com o primeiro). Então não posso falar muito por experiência própria, mas tenho relativamente bastante amigo(a)s japonese(a)s aqui e conversamos bastante sobre o assunto.
Eu acho que em geral os japoneses são mais tímidos ou contidos, mas não necessariamente frios. Aliás, não acho muito justo essa generalização que fazem, não só dos japoneses, como de todo mundo em geral.
Conversando com os meus amigos homens, por exemplo, os que não namoram dizem querer alguém especial e os que namoram, quando eu pergunto se gostam da namorada, dizem com orgulho que são apaixonados e que pensam em casamento.
Quando estava solteira no Japão, tive alguns "deetos", ou seja, saí algumas vezes com um rapaz japonês. Ao contrário da imagem que se tem, todos os contatos que tive foram muito fofos e carinhosos.
Num modo geral, eu acho que eles têm uma "pureza", algo diferente. Conversam assuntos mais neutros e realmente perguntam de você, não parece que estão conversando somente com segundas intenções.
Outra coisa que notei, por experiência própria e ouvindo as histórias de amigos, é que o ritmo é diferente, quando comparado ao ritmo dos brasileiros.
Claro que "ficar" no primeiro encontro deve acontecer, mas acho que aqui é mais raro. Porém, é comum flertar, mandar mensagens, elogiar, assim como no Brasil ou outros Países.
Então vou contar um pouco da minha experiência:
O ex/ atual no início era um romantismo só: atencioso, carinhoso, falava de amor o tempo todo. Com o tempo, porém, ele parou de falar e demonstrar, mas acho que isso acontece bastante com brasileiros também, ne? Quando o relacionamento se torna mais longo e estável, acontece de demonstrar menos os sentimentos.
O outro rapaz, com quem saí por um curto período de tempo, foi totalmente romântico. Mesmo sendo por pouco tempo, quando olho para trás, digo que foi uma experiência que me acrescentou muito. Desde o início, ele me pediu em namoro dizendo que queria estar sempre comigo e por todo o tempo que ficamos juntos, não teve um dia sequer que ele não me agradecia por eu estar com ele e dizia o quão feliz se sentia ao estar comigo. Sempre muito educado, carinhoso e atencioso. Mas acabou que eu fui pro Brasil e fiquei uns meses e acabou não dando certo o relacionamento.
E por fim, o rapaz com quem fiz alguns dates. Sempre divertido, conversador, mesmo no meio da rua, me abraçava, andava de mãos dadas (mas isso eu não sei se é porque é Tokyo, talvez nas cidades mais no interior seja diferente).
A dinâmica de paquera é diferente. Pelo ritmo ser diferente, e no geral eles levarem o trabalho e estudos muito a sério, sinto que as coisas caminham com mais calma.
Mesmo que você saia algumas vezes e nada aconteça, muitas vezes já é considerado casal.
No começo eu não sabia falar japonês, então era praticamente impossível sustentar qualquer tipo de conversa, paquerar então, nem em sonho.
Mas conforme fui aprendendo japonês, fui entendendo mais também a forma de pensar e comportamento das pessoas aqui.
Algo que pra mim tem sido muito claro é que se a pessoa gostar de você, verbalmente não será diretamente falado. Mas as atitudes mostrarão por si só. Não me refiro a ações românticas ou demonstração de amor em público. Mas os pequenos gestos importam muito. O termo 「空気を読める」(algo como "ler o ar", ou seja, pegar no ar o significado) também vale muito para relacionamentos.
Coisas do tipo, os amigos saberem que o cara tem uma namorada já é muita coisa (é comum que se "esconda" a existência de um(a) namorado(a)), uma mensagem no fim do dia, cobrir a pessoa se ela adormece no sofá, colocar aquele filme que ele(a) quer assistir mesmo que você nem tenha tanto interesse no filme assim.
Parece tão básico, mas na prática, a gente acaba cobrando mais ne? Demonstrações de afeto, conversas diárias, contar como foi seu dia, ouvir o dia da pessoa com quem você se relaciona... isso eu não vejo acontecer aqui. Parece que "o que acontece no trabalho não diz respeito ao parceiro". Mas isso não quer dizer que o relacionamento seja frio. Mesmo. É só a forma de se relacionar que é diferente. Quando eu aprendi a olhar com os olhos dele, as situações me pareceram fazer muito mais sentido.
No início eu me sentia sozinha frequentemente e muitas vezes deixada de lado. Hoje, tentando olhar com outros olhos e considerar a cultura japonesa que é muito mais tímida do que a brasileira, eu não posso reclamar de nada. Tampouco posso concordar quando dizem que japoneses são frios.
Japoneses são seres humanos como qualquer outro e tem sentimentos e necessidades, também se sentem sozinhos e também querem carinho. Afinal, quem não gosta de um chamego? 
Ontem, conversando com uma colega brasileira, que é casada com japonês e mora no Japão há mais de 20 anos, ela definiu de forma que eu acho que explica bem: " Os japoneses são de uma delicadeza imensa. Mesmo se preocupando com você, não vão se intrometer na sua vida ou fazer perguntas indiscretas. Mesmo se casados. O respeito pelo espaço do outro é muito valorizado." 
Acho que é exatamente isso. Sei que deve parecer estranho chegar em casa e não ficar conversando sobre o que você fez durante o dia ou não saber o que o seu parceiro fez ( aliás, eu não acho isso muito bom em alguns pontos. Por exemplo, acho que o índice de traição aqui é muito alto. Mas deixa pra um proximo post...), mas a gente acaba acostumando.
O que vocês acham? Já tiveram alguma experiência com japoneses? 



Turistando pelo Japão

Oi gente! Muitos amigos ultimamente tem me pedido dicas de turismo no Japão e seus custos, esse ano um monte deles estão vindo entre agosto e novembro a turismo! Legal, ne? Acho que hoje em dia está bem mais fácil conseguir viajar, com tarifas aéreas mais baratas e promoções, e com internet e google fica bem mais prático se locomover e reservar hoteis, etc.
Monte Fuji

Então resolvi fazer esse post, com algumas dicas para quem vier passear por aqui. Eu mesma não turistei muito, então não posso afirmar com toda a propriedade do mundo que o que falarei aqui é 100% certo. Mas baseado em alguns custos, alguma experiência de vida e um pouco do que conheci por aqui, espero que ajude um pouco!

Não vou comentar muito sobre passagem aérea, pois dependendo da época do ano, as tarifas mudam, assim como há casos de uso de milhas, etc. No meu caso, nas duas vezes que fui passear no Brasil, a passagem (de ida e volta) saiu por volta de 140.000 ienes, algo em torno de 1278 dólares americanos, pela conversão de hoje. A primeira vez fui pela Air France e a segunda vez, esse ano, pela Etihad.

Pois bem, minha primeira dica para quem vier a turista aqui é: JR RAIL PASS.
Existem várias linhas de trem no Japão, mas uma das principais é a linha JR. Com essa linha, é possível pegar os trem balas e andar por quase todos os lugares de Tokyo e principais cidades 

tirado do site http://www.japanrailpass.net/en/
Kinkakuji, o templo de ouro, em Kyoto 


Existem 3 opcões: de uso contínuo por 7, 14 ou 21 dias. O preço do passe de 7 dias é 29,110 ienes (algo em torno de 830 reais), o de 14 dias custa 46,390 ( aprox. 1326 reais) e o de 21 dias custa 59,350 ienes ( aprox. 1697 reais). Olhando assim, parece caro, mas se você estiver planejando uma viagem em que você visite Tokyo, Kyoto e Hiroshima, por exemplo, você gastaria de Tokyo-> Kyoto aprox. 14.000 ienes ou de Tokyo -> Hiroshima aproximadamente 19,000 ienes. 
Eu acho que vale muito a pena investir no JR Rail Pass, uma vez que ele vale não somente para os trem balas, mas também para os trens normais. Na ponta do lápis, fica mais em conta (claro que depende de quanto você usaria os trens, mas de modo geral, quando se turista, andamos o máximo possível para conhecer a maior quantidade de lugares possível ne?) , sem contar o sossego de não precisar se preocupar em comprar os tickets de cada viagem nas cabinas (o que, para quem não fala japonês, poderia dar um pouco de nervoso).

Pontos turísticos básicos


Os lugares que as pessoas mais visitam quando vem ao Japão são, sem dúvida, Osaka, Kyoto, Tokyo, Nara, Hiroshima, Okinawa. Eu mesma visitei alguns desses lugares e são mesmo incríveis!

Em Kyoto, temos o Kinkakuji ( o templo feito de ouro) e Kiyomizudera ( Literalmente, templo das águas puras ), e faz parte dos monumentos históricos da antiga Kyoto e patrimônio mundial da UNESCO. 


Nara, com os veadinhos <3 



Em Nara tem o templo Todaiji, um dos complexos budistas mais famosos e gigantesco do Japão. 
Além de lindas imagens budistas e construções de arquiteturas impressionantes feitos em madeira, há também os veados que interagem com os turistas. São vendidos semeeis (biscoitos japoneses) para alimentar os veados e brincar com eles. ( Apesar de achar fofos, fiquei com um pouco de medo rs) 

Shibuya


Hiroshima e Okinawa são lugares que eu sou louca para ir, mas ainda não tive oportunidade, quem sabe logo mais..
Em Tokyo há TANTOS lugares para conhecer, que para quem tiver condições, eu recomendo ficar no mínimo 1 semana aqui! 
Os bairros de Shinjuku, Shibuya, Omotesando, Harajuku, Akihabara, Ginza, Roppongi eu indico demais para quem quer ver o movimento de megalópole de Tokyo, a parte fashion, compras e restaurantes diversos. 
Akihabara
Harajuku é o bairro famoso pela rua Takeshita dori, onde cosplayers, lolitas, visual keys e outras culturas pop andam por lá livres de qualquer julgamento. Para quem gosta da cultura kawaii, é um prato cheio também, além das infinitas lojinhas de rua de roupas exoticas, maquiagens e acessórios.  
Para quem curte eletrônicos, o bairro é Akihabara! Lá também é possível achar varios figure arts e cafés exoticos, como Maid Cafés. Se você não sabe o que é isso, da uma olhada nesse vídeo do meu amigo, Hiro, do canal Aqui Pode - A vida no Japão





Em Roppongi temos restaurantes, bares e night clubs, além de lojas de grife e entre novembro e fevereiro, as belas iluminações de fim de ano!


Iluminação de Natal em Roppongi











Tokyo Tower

Doces no Japão
Roll cake de framboesas com merengue, do La Maison Kioi 

      O Japão tem seus doces tradicionais, tais como wagashi, mochi, dango, daifuku e demais doces feitos à base de arroz mochi, feijão azuki e outros ingredientes japoneses. Eu adoro todos, mas tenho uma paixão também pelos doces originalmente não japoneses, mas que eu acho que é feito com maestria aqui. 
Além de lindos, são gostosos e não tão doces, e por isso, não são enjoativos pra comer. 
      Ao longo do tempo que tenho morado aqui, tenho ido bastante em cafés e docerias, por pura gordice mesmo! 
      Gosto da delicadeza das confeitarias daqui, especialmente o capricho que os pratos são preparados. 
      A gente come com os olhos primeiro, se apaixona ao ver a vitrine de doces! Dependendo da época do ano, os doces também mudam. Agora, agosto, tenho visto muitos doces de manga, frutas tropicais, melão, melancia, e kiwi. Perto do fim do ano, há muitos bolos e sobremesas de morango ( inclusive no Natal, há a tradição de comer bolo de morango!).

      O post de hoje vai ser especial pra mostrar alguns dos doces que tenho comido por aqui!
bolo de chocolate de um café em Shinjuku

sorvete com frutas e cheese cake, do restaurante Gasuto. Ele vem servido nesse bowl de pedra congelada e recomendam misturar tudo antes de comer

Sorvete em mini bolinhas coloridas saborizadas. Pra mim, pareceu um monte de sacolé em formato de mini bolinhas ahaahah. Mas era gostosinho =) 


Bolo de framboesa da doceria Almond, em Roppongi. Acho que esse lugar é um dos meus favoritos.

Parfait de macha do restaurante Kyoumachikoisigure, em Shinjuku

Sorvete de Pistache de um restaurante Okinawano em Nagoya

Bolo Charlotte na doceria Ma Maison, em Shibuya

Doces diversos da doceira perto de casa

Sobremesas diversas do restaurante francês Saint Marc, perto de casa

Sobremesa do course do restaurante do Hotel que ficamos em Kawaguchiko, perto do Monte Fuji

Sobremesa de um restaurante em Odaiba, na baía de Tokyo


Tiramisu com manga, do L'Occitane Café em Shinjuku

Mousse de laranja da confeitaria perto de casa



Bolo de mix berries da confeitaria perto de casa

Sobremesa do restaurante Kikukasou. Esse lugar era a casa da família Imperial antigamente. O jardim era lindo e a comida maravilhosa. Acho que merece um post só pra ele!





E aí, o que acharam? Você, que já veio ou mora no Japão, tem alguma preferência pelos doces daqui? Ou tem algum lugar pra me indicar? Eu adoro doces e sempre que posso saio pra experimentar algum lugar novo por aqui! 

@blogdamoderna